Hidroluz dá entrevista à Revista Lowndes Report sobre Medição Individualizada

Cresce a pressão por medidas que economizem água. O município do Rio, desde 2011, e também o Governo Federal, desde julho, obrigam que novos empreendimentos sejam entregues com hidrômetros individualizados.

Para o sócio-diretor da principal empresa instaladora dos equipamentos no mercado carioca, com 20 anos de experiência no mercado de instalações hidráulicas e elétricas, Luiz Alberto de Carvalho, é uma questão de tempo para que todos os condomínios tenham que adotar a medição individual como forma de reduzir o consumo em função da escassez e do alto custo da água. Ele explica o que é a solução, que possibilidades existem para as edificações já construídas e recomenda: façam campanhas internas de conscientização para reduzir o consumo de água.

Lowndes Report – No que consiste a medição individualizada de água?

 

Luiz Alberto de Carvalho – A medição individualizada de água consiste na instalação de hidrômetros capazes de medir individualmente com precisão o consumo de água de cada apartamento em prédios novos e antigos. Cabe ressaltar que a instalação dos hidrômetros não determina a economia na conta de água dos condomínios. O que ocorre é que, assim como nas demais contas de consumo, como as de luz e gás encanado, os usuários passam a saber quanto gastam individualmente, buscando corrigir vazamentos e conter os desperdícios, gerenciando melhor o uso e fazendo com que a conta total do condomínio caia, levando a reduções significativas no consumo geral.

 

Lowndes Report – Qual o percentual de redução?

 

Luiz Alberto de Carvalho – O percentual médio que temos observado nos prédios em que instalamos é de 35% na redução dos custos com água. No entanto, a economia já atingiu 70% em alguns condomínios. E os ganhos não se limitam a uma cobrança mais justa, visto que cada condômino passa a pagar efetivamente pelo que consome e mais a sua cota-parte nas partes comuns, promovendo uma real justiça na cobrança da água e transparência na apresentação da conta. É preciso destacar que, além da vantagem financeira há a questão da preservação da água e, também, da valorização dos imóveis. Com o sistema instalado, eles apresentam uma valorização de aproximadamente 5% em seu preço final.

 

 

Lowndes Report – Como é a instalação nos diferentes tipos de condomínios e o que envolvem?

 

Luiz Alberto de Carvalho – A empresa contratada deve realizar uma vistoria para verificar as características do c

condomínio e definir qual o procedimento técnico mais adequado. A princípio, todos os prédios podem instalar um sistema de medição individual. Existem essencialmente três tipos padrão com custos bastante diferentes. O primeiro, é quando o prédio tem previsão, realizada nos casos de prédios novos já com a instalação hidráulica preparada para receber os equipamentos de medição. O custo desse procedimento é bem menor, pois não precisamos refazer a instalação hidráulica do condomínio. Neste caso, faz-se apenas a instalação dos hidrômetros.

 

O segundo tipo de instalação é o interno, no qual a instalação de hidrômetros é feita em diversos pontos de consumo, em prédios sem previsão, mas com viabilidade técnica. É realizada no interior das unidades, sem a necessidade de substituição da rede hidráulica, mas com uma pequena obra em cada unidade. Esta solução depende de análise de viabilidade técnica, pois nem todos os prédios podem adotá-la. O terceiro tipo de instalação é aquela que é feita em prédios antigos, onde há a necessidade de instalação de uma nova tubulação antes da instalação dos hidrômetros, chamamos de retrofit hidráulico. Nesse caso, além da economia de água, o prédio ganha uma nova tubulação de água, instalada paralelamente à antiga, que só é desativada quando da conclusão da nova, evitando causar maiores transtornos aos moradores.

Lowndes Report – O que é importante saber antes de buscar uma empresa que ofereça a solução?

 

Luiz Alberto de Carvalho – Ao contratar uma empresa para implantar a medição individualizada, o síndico, em conjunto com os condôminos, deve considerar tanto a “expertise” e a tecnologia da empresa, como também o nível de satisfação dos clientes, buscando ouvir clientes que já utilizaram seus serviços. O atendimento e o suporte técnico na instalação e, principalmente, após o serviço, é o ponto fundamental a avaliar. Afinal, é neste momento que se inicia a gestão do consumo que, além das leituras mensais precisas dos hidrômetros, oferece consultoria e suporte ao condomínio na escolha do melhor método de cobrança, considerando diversos fatores, tais como características do condomínio, taxa de ocupação em caso de prédios novos, itens na área comum que consomem água, entre outros. A empresa contratada deve ainda realizar a gestão do consumo e enviar mensalmente extrato digitalizado do consumo por unidade, inclusive detectando e informando consumos fora do padrão, o que pode caracterizar possíveis vazamentos.

 

 

Write a Reply or Comment